sexta-feira, 23 de abril de 2010

Cheíssimo do vazio.


O mundo não é algo complexo, nós o tornamos assim. Lendo sobre uma série de coisas estes últimos tempos, passei pela crença e descrença dos filósofos não em Deus, mas na religião (de alguns é em Deus mesmo). Uns a defendem a la Kant e schopenhauer outros a execram a la Voltaire.
Passam pela metafísica, pela realidade da existência, percepção “O mundo é o que você percebe”... Tantas coisas que, bom, sei La, me atraem.
Isso não é para intelectualizar nada, é só pra entrar no contraditório (e mostrar como este o é) assunto religião, antes de tudo quero deixar uma coisa clara, sou absolutamente crente em Deus.

Mas que loucura em!
As coisas tomaram uma proporção que não sabemos pra onde correr, nem em quem confiar.
É mais fácil achar um canal mostrando a realização de uma celebração religiosa do que quaisquer outras coisas, daqui a pouco inventam a “celebração pay per view”
“Somente na HBO religiosa, ou na Sport Tv dos ultimos dias! Você assiste a Missa ou culto em vários algulos!
E ainda pode repetir os lances!”
“Alá o Padre jogou a água benta!, volta volta, coloca em slow motion!”
“iiiiiiiiii acho que o pastor tava impedido quando tiro aquele encosto em, volta La.
Ai, tava! não falei! Rezou uma Ave Maria. De jeito nenhum, impedidissimo!”

Outro dia ouvi uma piadinha que dizia:
“Se a religião é o caminho, o Edir Macedo é o pedágio, A HAHAHAHAHAAHA”.
Eu acho a situação desesperadora, a religião é algo do tipo, ultima raiz na qual o povo se agarra, e vem sendo utilizada ao longo dos últimos séculos de forma horrenda, gerando preconceito, guerras, submissão, quando deveria gerar algo que seguisse na linha contraria.
Antigamente, isto a algumas décadas, as pessoas falavam: “não ande com os comunistas, você será considerado subversivo, eles comem criancinhas, blá blá blá...”
Hoje em dia seu filho faz bagunça e quer ficar zanzando na missa e você diz:
"Se você levantar do banco aquele homem de branco que ta com o microfone vai te pegar! e ele come criancinhas!".
Acabamos Náufragos adoradores de wilsons da mesma forma desesperada.
Bom esse assunto é muito delicado, e esse blog anda muito perigoso ( os anônimos vão te pegar, Búúúúúúú!), melhor parar por aqui. Fazia tempo que não postava nada.
Mas sinceramente, espero um dia alcançar a graça de ignorar isso tudo, sentar e orar em um banco ao mesmo tempo da luta contra esses absurdos, agora se fizer os dois, eu surto. Que Deus me perdoe por minhas ignorâncias.

Lucas Grenzel

5 comentários:

  1. por isso gosto de vc meu peixe, vc falou o q eu gostaria de falar sem ser muito agressivo, pq se fosse eu...

    ResponderExcluir
  2. Pq se fosse vc Alison,seria um post de revolta total,sem medir as palavras!
    shuahsuauhsuahsauh

    Esses dias eu ouvi alguem dizer assim: Não é oq vc fala,e sim o modo como vc fala!
    =)

    Bem interessante esse post Lucas!E infelizmente é o que mais vimos ultimamente,a religião sendo usada como uma maquina de dinheiro!

    ResponderExcluir
  3. Incrivel a capacidade de tornar a esperança, a fé de muitos em fonte de renda de poucos!

    ResponderExcluir